terça-feira, 12 de novembro de 2013

Gastronomia saudável


Como tenho formação em Gastronomia,muitas vezes fico entre a cruz e a espada quando o assunto é gastronomia saudável,mesmo porque para um gastronomo o que mais vale é sempre o sabor e as grandes descobertas na alquimia da cozinha,dificilmente se pensa nas calorias,ok mas existe uma exigência enorme nos dias de hoje com a saúde,enquanto preparo minhas aulas de vinhos e algumas consultorias,depois de ter passado uma boa temporada em Portugal,tenho ficado muito em casa,o que me tem dado asas a imaginação quando o assunto é cozinhar...
Cozinhar para mim,sempre foi além de profissão,uma terapia...me perco nos temperos,no universo imenso de sabores,claro já pensando sempre no vinho que irei harmonizar e isso me dá um prazer enorme,varias noites fiz laboratórios em casa e vale a pena até harmonizar errado para saber sim,qual o sabor e o porque a harmonização de vinho e comida é tão importante.
Mas já falei de harmonizações em posts anteriores,o que quero é apenas dividir com vocês a experiência de cozinhar de forma saudável,já que devido aos treinos que faço,procuro ter uma alimentação equilibrada,mas saborosa ...

Segue então algumas dicas e uma receita especial que preparei hoje...


File de San Peter com creme de espinafre e legumes salteados

300 gr File de San Peter
2 colheres de creme de leite de soja
Sal moido na hora a gosto
Pimenta moída na hora a gosto
1 piatada de nos moscada
Espinafre fresco
2 dentes de alho
1/2 cebola picada 
Ervas aromaticas picadas 
100 ml de vinho branco
1 maço de aspargos frescos
1 maço de brocólis fresco

Modo de preparo

Tempere o filé com pimenta e sal a grosso (uso sal marinho por causa das propriedades e sais minerais)
reserve.
Pique a folhas de espinafre e refogue com alho,cebola no azeite extra-virgem ,quando estiver refogado tempere com sal e pimenta,adicione o creme de leite de soja,tempere com nós moscada e de preferência processe com o mixer para virar um creme,reserve.
Grelhe o filé de peixe com um fio de azeite dos dois lados,eu gosto de selar com o fogo bem alto assim preserva o suco e não fica um peixe seco...depois de grelhado coloque o creme em cima do filé,com ervas picadas a gosto em cima e sirva com aspargos e brócolis salteados.




Para harmonizar eu recomendo um ótimo Chenin Blanc da Africa do Sul,variedade originária do Loire mas que se adaptou super bem na Africa do Sul e Na taça cor amarelo palha com reflexo esverdeado. Os aromas eram discretos, remetiam a frutas cítricas, como lima, limão e carambola, algum nuance de alecrim e manjericão completavam o painel. Na boca um vinho fresco, de boa acidez que secava bem a boca. Corpo leve e retrogosto confirmando as frutas cítricas. Para mim ideal para um prato leve e saboroso,então a dica está dada ...agora é experimentar 
 =)  e Boa Degustação!!!

Há se for se preparar para treinar,tome um suco e deixe o Chenin Blanc para a noite ;)

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Vinho com Hamburguer,vamos ousar!!!



Hamburguer com vinho???Sim pode e vai bem...quem gosta de desviar um pouco da dieta e comer aquele suculento hamburguer no final de semana,pode também harmoniza-lo com um bom vinho,nunca pensou nisso não é?Para acompanhar, refrigerante é a primeira coisa que vem à cabeça. Os mais animados  já puxam uma cerveja. Há também os que preferem pedir água,talvez para diminuir o peso na consciência,não é?Foi-se o tempo em que s hambúrgueres se resumiam a duas fatias de pão, uma de carne, queijo, tomate e alface. Quanto mais ingredientes entram na brincadeira (já vi até com trufas e foie gras)está cada vez mais gourmet e mais interessante o universo destas delicias ,  mais fácil fica casá-los com brancos, tintos e rosés.Então qual é o medo?A regra não mudou,fique atento aos ingredientes,para poder contrastar e equilibrar os sabores. Sanduíches leves (com frango, peixe, legumes ou vegetais) casam com vinhos leves e frutados (brancos e espumantes são ótimas opções), enquanto os mais gordurosos e suculentos pedem um tinto mais complexo e encorpado,viu como é facil? Delicie seu hamburguer da melhor forma e claro com o seu melhor vinho e não esqueça de levar aquela pessoa especial para uma noite divertida e feliz,afinal seja hamburguer,salada,comidas exóticas ou um jantar em casa o importante é ser feliz!!!Boa Degustação!!!!



segunda-feira, 9 de setembro de 2013

O que faz o vinho chorar?

Você ja deve ter se perguntado,mas afinal oque faz o vinho chorar...bom neste caso com certeza não é por tristeza, já que vinho para muitos é sinonimo de felicidade,mas afinal de onde e por que surgiram as lagrimas na parede da taça, quando circula o vinho?
Alguns equivocos clássicos é a associação das lágrimas do vinho à qualidade. Também é possível encontrarmos argumentos relacionados à doçura ou viscosidade do vinho.
Mas na verdade o vinho chora por causa do teor alcoolico, as moléculas de álcool evaporam mais rapidamente do que as moléculas de água, por serem mais voláteis. Então, essa camada líquida em volta da taça acaba tendo uma menor concentração alcoólica que o resto do vinho. As moléculas de água dessa camada tendem a se unir, formando gotículas, que escorrem...simples não?Então nada de dizer sobre viscosidade e açucar...e boa degustação!!!

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Temperatura do vinho

A Temperatura do vinho...

Temperatura do vinho é coisa séria. 


Muita gente já ouviu isto, temperatura do vinho é coisa séria e influencia (e muito) no paladar.
Mas qual a forma correta de se servir vinho e quais temperaturas seguindo o tipo de vinho? Branco, rose e tinto...


Para cada vinho, guarda, tipo, etc. existe uma temperatura específica. Sei que muitos acham isto uma perda de tempo, pois já se pensa: vinho branco e rose são para se beber frios, espumante gelado e tinto em temperatura ambiente. Ok, em geral seria desta forma, mas obviamente existem sempre os detalhes das meias verdades.


Vamos às temperaturas dos vinhos e seu beneficio real e o porquê do vinho precisar destas temperaturas.


Para se entender de forma geral antes de detalhar este tópico: 18ºC é a temperatura máxima em que um vinho deve ser servido, pois o aroma ou bouquet está no seu auge. Caso ele seja submetido a uma temperatura inferior a 8ºC, essas mesmas características são praticamente anuladas. Um vinho tinto submetido a baixas temperaturas paralisam as papilas gustativas e você simplesmente não sente nada, além do que, “mata-se” o potencial do vinho por completo... então tente evitar o absurdo de colocar uma garrafa de vinho tinto em um balde cheio de gelo, isto é um desrespeito aos que trabalham anos para produzir com qualidade a boa garrafa que está à sua frente. Consulte um sommelier. Este profissional do serviço do vinho está ali para te ajudar exatamente na maestria deste serviço, que tem décadas de aperfeiçoamento.


As temperaturas que servem como referência para a apreciação do vinho são um excelente ponto de partida para descobrir aquela que lhe parece mais adequada e, claro, mais saborosa! Para isto, o ideal seria usar um termômetro especifico para a garrafa de vinho (sim, existem vários) e no restaurante que oferece serviço de vinho, pode e deve-se pedir este componente, para saber exatamente qual temperatura e potencial de aromas e sabores o seu vinho vai atingir.


Vinho Espumante


Dita a regra que deve ser servido a 6ºC e, sendo assim, ele aceita de bom grado um balde de gelo, duas taças e boa companhia. 
Vinho Espumante
  • Demi-seco: 6º a 9ºC
  • Brut: 6º a 10ºC



Vinho Branco 


Apesar de ser a forma mais prática de refrescar uma garrafa de vinho, colocá-la Na geladeira ou no congelador não é o melhor método, vinhos brancos principalmente os de guarda, não devem ser degustados em temperaturas tão baixas. Um torrontes, argentino jovem, não deve ser bebido na mesma temperatura que um chardonnay da bourgonha de guarda. Há de se respeitar as temperaturas. Se for utilizar o método mais conhecido, que é o balde de gelo, lembre-se que se leva  de sete a oito minutos para baixar a temperatura de 18º para 3ºC. Se o vinho for jovem, sem problemas, se for um vinho de guarda fique atento às temperaturas ideais. O mesmo serve para o rose.
Vinho Branco e Roses.
  • Leve e doce: 6º a 8ºC.
  • Jovem, demi-seco, leve, doce, encorpado: 7º a 10ºC.
  • Encorpado: 10º a 12ºC.


Vinhos Tintos


Penso que, de todos os vinhos, quando o quesito é temperatura ideal, o tinto é de longe o mais complexo nesta questão. Vinho tinto pode ser bebido em temperatura ambiente, se você viver na Europa e a temperatura ambiente for 18ºC... mas voltando à realidade, é sabido que a temperatura varia sim e isso não faz bem ao vinho. O ideal é ter uma boa adega (iremos discutir isso a seguir). Um vinho tinto deve ser colocado na sala onde irá ser servido, para que possa aquecer de forma natural e gradual. Se a casa estiver fria, por exemplo, mantenha a garrafa na cozinha enquanto prepara a refeição. No restaurante, ele deve ficar armazenado na adega em temperaturas entre 16 a 18ºC, dependendo da guarda deste vinho, de preferência em lugar escuro, sem sofrer movimentos bruscos, e somente ser retirado na hora de servir. Caso contrário, se o vinho estiver muito gelado, aconselho usar uma tolha umedecida em água quente, para subir, por exemplo, de 13° para 16° ou 18°C, mas muito cuidado, vinho superaquecido estraga. O ideal mesmo é se ter uma adega em condições corretas para deixar seu vinho na temperatura ideal para ser bebido.


Um vinho tinto fresco já não é novidade, nem “escandaloso” para ninguém, principalmente nos países com climas muito quentes. No Brasil é muito comum servir o vinho com a temperatura abaixo do indicado pelos profissionais da área, porém o bom senso cabe a todos, vinho com temperatura ideal para o serviço influencia, e muito, na qualidade do mesmo, e deve ser de responsabilidade do sommelier ou do garçom, garantindo assim uma degustação memorável.


Vinho Tinto
  • Jovem: 11º a 14ºC
  • Encorpado: 15º a 17ºC
  • Reserva: 16º a 18º C.


Vinhos de sobremesa e digestivos.


Estes, por conter alto teor de açúcar e álcool, devem ser servidos em temperaturas médias ou baixas, quando ficam mais cremosos e apetitosos. Em altas temperaturas o álcool se sobressai e eles se tornam quase insuportáveis ao paladar.


No caso dos vinhos do Porto existem exceções, conforme a guarda. 


Vinho do Porto
  • Branco (servido fresco): 6º a 7ºC
  • Branco: 8º a 12ºC
  • Tawny: 12º a 16ºC
  • Vintage: 16º a 18ºC


No caso de vinhos de sobremesa:
Moscatel: 12º a 14ºC
Sauternes: 10 a 14ºC


Vejamos uma forma bem prática de se entender:


19°C - Porto Vintage
18°C - Bordeaux, Shiraz
17°C - Borgonha, Cabernet
16°C - Rioja, Pinot Noir
15°C - Chianti, Zinfandel
14°C - Porto Tawny, Porto Ruby, Madeira
13°C - Boa temperatura de armazenagem
12°C - Beaujolais, Vinho Rosé
11°C - Branco Viognier, Sauternes (vinho de sobremesa)
9°C - Chardonnay
8°C - Riesling
7°C - Champagne, Espumantes
6°C - Ice Wines
5°C - Asti Spumanti
Agora ficou bem mais fácil.
Acima falei sobre adegas. Creio que é o segundo maior problema no assunto temperatura ideal do seu vinho, pois é sabido que a adega que deveria ajudar muitas vezes atrapalha, já que nem sempre é fabricada com a classe climática correta, Nestes casos, além de gastar muita energia, as temperaturas variam dentro e fora.
Na hora de comprar uma adega, são necessários muitos fatores que o consumidor não se atenta, portanto não se apegue apenas ao preço, observe os detalhes de sua adega e se ela comporta todos os quesitos necessários para suportar o calor de fora (não gerando um maior) consumo de energia, graus de temperaturas corretas e sem oscilações. Pois, afinal, estamos falando do potencial máximo de serviço e guarda do seu vinho. Claro que se para você isto não é importante, tudo bem, compre uma adega barata e sem grandes problemas. Mas saiba que ela provavelmente irá quebrar logo, pois o esforço de deixar a temperatura de dentro ideal é muito grande já que não está adequada à temperatura de fora. Além da conta de energia, que certamente virá mais gordinha em função disto.
Fique atento a classe climática do equipamento, ela é estabelecida de acordo com o índice de eficiência energética, calculado em função das respectivas características técnicas. Chato, né? Eu sei, mas o funcionamento da sua adega depende da classe climática e se ela está de acordo com a temperatura de fora, senão o ambiente de fora vai ser aquecido, o de dentro trabalhará em dobro para refrescar e assim sabemos que irá danificar o aparelho e com certeza também você terá de aumentar o ar condicionado... Gerando mais gastos desnecessários.
A classe climática correspondente ao seu aparelho está indicada na placa de características.
Classe climática - Temperatura ambiente
SN +10° a +32°C
N +16° a +32°C
ST +18° a +38°C                                                

T +18° a +43°C


quinta-feira, 2 de maio de 2013

Vinho com gelo...yes, they can !!!

Isso mesmo,mais um mito rompido,pela Moët & Chandon que lançou no mercado a champagne Ice Impérial ,feita com uma assemblagem que permite o uso do gelo no vinho!!! Assinado pelo mestre de cave Benoit Gouez, o mix de uvas Pinot Noir, Pinot Meunier e Chardonnay do Ice Imperial conta ainda com notas florais, doces especiarias como o anis, frutas vermelhas, além de um toque de menta, que realça a refrescante experiência icy-taste.Um champagne unico e sem concorrentes ...vale a pena conhecer e Boa degustação!!!


quarta-feira, 24 de abril de 2013

Os vinhos mais caros do mundo...

Sempre me deparo com esta pergunta por alguns clientes, pois sabemos que o vinho além de ser a bebida mistica e intrigante,traz também um mercado muito forte nos meios milionários .
No inicio de cada ano,a mídia e a imprensa se unem para dar os 5 tops do ano anterior em várias categorias,os resultados são baseados em pesquisas e analises para um  critério de avaliação.Obviamente que a cada ano, muda-se os rótulos que serão campeões em suas devidas categorias,afinal com tantos exemplares no mundo,normal que nem em todos os anos o mesmo vinho supere o ano anterior e por ai vai.Porém uma lista bem "seleta"de rótulos levam um titulo que não muda nunca...uma lista inalterada que entra para história por serem desejados por colecionadores,custando verdadeiras fortunas por garrafa.São estes rótulos antigos,raros e cheios de histórias,alguns bebíveis,outros apenas itens para se colecionar...estamos falando dos vinhos mais caros do mundo...

Block 42: Uma loja na Flórida tem à venda por 129 mil euros uma garrafa de vinho de uma série de doze da adega australiana Penfolds, a primeira a chegar aos EUA, e, segundo os proprietários, a mais cara do mundo.A justificativa para o vinho ser tão raro e tão caro vem  que as uvas utilizadas no processo provêm da mais antiga vinha da variedade Cabernet Sauvignon do mundo.





Château d´Yquem 1787: o mais caro, famoso e longevo e famoso vinho branco doce do mundo.  Feito exclusivamente com uvas "botrytizadas". Em 2006, um colecionador americano anônimo adquiriu essa garrafa num leilão por US$100,000. 00. Para se ter ideía da raridade que é este vinho quando as uvas para esse vinho foram colhidas, o Brasil ainda era colônia de Portugal.


Romanée-Conti 1945: É um dos vinhos mais caros já vendidos num leilão de vinhos raros da Christie´s em Genebra. Outro colecionador americano arrematou a garrafa por US$123.899,00 em maio de 2007. Somente 600 garrafas desse vinho foram produzidas no final da 2ª Guerra, sendo a safra de 1945 a última na qual a colheita foi feita em vinhas pré-phylloxera não enxertadas.





Château Lafite 1787: em 1985, o publicitário Christopher Forbes, filho de Malcom, da Forbes Magazine, comprou essa garrafa num leilão em Nova York por US$160.000,00. Acredita-se que tenha pertencido ao presidente Thomas Jefferson, pois as iniciais ThJ se encontram gravadas no vidro. Hoje, como valioso item de colecionador, essa garrafa deve alcançar o preço aproximado de US$ 315,000. 00.

Champagne Heidsieck Monopole Diamant Bleu 1907: também conhecidas como "Shipwrecked" 1907 Heidsieck, pertencem a um lote recuperado de um navio naufragado durante a 1ª Guerra. Das três mil garrafas enviadas para a Corte Imperial do Tsar Nicholas II, apenas poucas em estado perfeito foram retiradas do mar em 1997. Este champagne é servido para os membros da elite russa e clientes abastados no Hotel Ritz-Carlton em Moscou por US$275.000,00 cada garrafa!

Screaming Eagle Cabernet 1992: uma garrafa de formato imperial (seis litros) desse vinho tecnicamente alcançou o maior preço já pago por uma garrafa. Entretanto, é preciso considerar que a finalidade do Napa Valley Wine Auction em 2000 era para obras de caridade. A garrafa foi comprada por um executivo de uma empresa de informática por US$500.000,00!

Château Margaux 1787: Em 1989, outra garrafa também da coleção de Thomas Jefferson foi avaliada pelo seu proprietário, um negociante de vinhos de Nova York chamado William Sokolin, por astronômicos US$500.000,00. O alto preço pode ter sido um golpe de publicidade. Quando Sokolin levou o vinho consigo para um jantar somente com Margaux no Hotel Four Seasons, um garçom  derrubou a garrafa, quebrando-a. Por sorte, o vinho estava no seguro e ele recebeu US$225.000,00. E o pescoço do garçom foi poupado.

Muitos destes rótulos fizeram e fazem parte de uma história,sua criação e maestria em sua formula,como foram feitos,exclusividades de uvas e alguns apenas por "sobreviverem"ao tempo,se tornaram verdadeiras obras de arte,provas de história e a claro que seus preços astronômicos impedem seu conhecimento pelos simples mortais,mas eles existem e dão mais uma capitulo a vida dos vinhos e seu universo tão magico e encantador...

Boa degustação!!!


segunda-feira, 25 de março de 2013

Encontro do Sommelier

Sétimo encontro do Sommelier ...


Aconteceu dia 24/03 realizado pela Grand Cru o sétimo encontro do Sommelier no Grande Hotel do Senac-Águas de São Pedro.
Reuniu profissionais da área do vinho de todo o Brasil, para provar vinhos do Novo e Velho mundo,com novidades para restaurantes e consumidor final.

As Vinícolas que compareceram e seus produtores foram :

Leyda-Chile
Santa Rita-Chile
Marquis de Bourdeaux-França
Domeco D Jarauta- Espanha
Garofoli- Itália
Doña Paula-Argentina

Degustamos os seus ícones e demos notas,além de bater um bom papo com os produtores e a troca de experiências entre os profissionais da aréa,em uma degustação que levou dois dias e valeu muito a pena




 A Degustação começou no domingo e terminou na segunda com apresentação de 6 vinícolas e dando a oportunidade para se conhecer, rótulos do Novo Mundo e do Velho Mundo,desde os mais simples até os mais complexos de vários estilos .



Decidi colocar alguns dos rótulos que me chamaram atenção neste post e dividir um pedacinho desta experiência que profissionalmente só tem à acrescentar...

Leyda Single Vineyard Neblina Riesling 2010-Chile:

Sua cor: Amarelo palha com tons esverdeados.
O aroma não podia ser mais tipico de um riesling,muito petróleo e mineralidade.

Na boca ele se apresenta fresco e como o nariz já propunha, é mineral,um amargor e acidez bem agradável,ótima opção para carta de vinhos em um restaurante que propõe pratos com frutos do mar e peixes .

Marquis de Bordeaux 2010-França

Esta linha vem com uma proposta do verdadeiro "bom, bonito e barato" um bordeaux de Saint Emilion com ótimo preço,esta muito equilibrado e não é um vinho excepcional,porém esta muito honesto,um vinho com boa doçura e estrutura,tem corpo médio,taninos elegantes e por ter filtração tangencial (Tecnologia de filtração respeitosa das qualidades organolépticas e estruturais do produto, económica e, com capacidade de filtração de grandes volumes diários) mantém aromas muito fortes e agradáveis.Com certeza de todos os Bordeaux que eu conheço este é o de melhor custo beneficio.



Domeco de Jarauta  2007-Espanha 

Surpreendente este tempranillo de Rioja,de uma vinícola boutique na Espanha,este vinho apaixonou, taninos maduros com frutas bem vivas,aromas tostados ele passa 2 anos em barrica e 3 anos em garrafa.Este vinho é um verdadeiro equilíbrio entre potência e elegância.

Garofoli Grosso Agotano Conero DOCG-Riserva 2008-Itália


Com envelhecimento de 18 meses em barricas de carvalho e 12 meses em garrafa,é um vinho surpreendente,me encantou provar um Montepulciano de Marche,ele mostra ótima acidez e equilíbrio com uma complexidade animal de couro em seu aroma.
Na boca é um vinho altamente gastronômico e bem estruturado,com qualidade de um Super Toscano,mas com a metade do preço.

Doña Paula Selección de Bodega Malbec 2007-Argentina

Dos nossos hermanos Argentinos,vem um vinho de tipicidade e ótima estrutura,eu particularmente adoro Malbecs Argentinos bem feitos,acho inclusive que do novo mundo é com certeza umas das uvas mais expressivas que eu conheço.Este vinho tem um corpo redondo,tanino firme e apesar dos 18 meses de carvalho ele se apresenta elegante sem ser pesado,claro que deve-se decantar,pois se torna aromático e surpreendente depois de meia hora de decanter.
Cor violeta e o aroma de frutas do bosque ,cereja negra e especiarias.

Santa Rita Casa Real Cabernet Sauvignon 2009-Chile

Para terminar a noite com chave de ouro,degustamos este ícone chileno,na boca se mostra muito complexo,como já era de se esperar,o melhor deste vinho é o fato dele ser um Cabernet Sauvignon complexo e com características europeias,não tem o peso nem a pimenta ou o aroma de goiabada tipicos de Cabernets chilenos,ele tem uma elegância e acidez perfeita,com certeza um vinho de terroir (conceito que remete a um espaço no qual está se desenvolvendo um conhecimento coletivo das interações entre o ambiente físico e biológico e as práticas enológicas aplicadas, proporcionando características distintas aos produtos originários deste espaço.) 

Com certeza a equipe da vinícola Santa Rita esta tratando o vinho chileno com muita seriedade,pois este Cabernet Sauvignon é para mim,o melhor vinho chileno desta casta que já provei.

                                       Lívia Novais,Eduardo Figueiredo e Cicero Mendes


Boa Degustação!!!

quinta-feira, 14 de março de 2013

Os supertoscanos

O Supertoscano...

Você ja deve ter ouvido falar ,os fãs dos vinhos italianos tem o dever de experimenta-los:


Nos anos 80, deu-se início a febre dos supertoscanos quando produtores frustrados com as regras do DOCG (Denominazione di Origine Controllata e Garantita), procuram cepas alternativas para a criação de vinhos de qualidade. Assim, nasce uma nova linhagem de vinho de altíssimo nível e fora da legislação DOC.

Este vinhos foram rotulados IGT(Indicazione Geografica Tipica) ou VDT(Vino da Tavola), denominação criada para vinhos baratos. Porém, o título de regra pra vinhos baratos tornou-se paradoxal devido ao fato de terem  tornado-se elitistas e, desde os anos 90, muitas Docs tradicionais foram modificadas e outras criadas, dando aos  vinicultores mais liberdade na escolha das uvas o que acabou atribuindo o status de DOC(G). Muitos supertoscanos, porém, continuam sendo denominados IGT, e usando-se desta imagem acabaram adquirindo um preço alto .

A mistura de uvas autóctones (uvas tipicas de uma região ou país) com uvas ditas internacionais faz a cabeça dos produtores mais modernos e são usadas para a produção de vinhos diferenciados e ousados, o que faz com que a arte do vinho saia da mesmice e dê passos interessantes para quem os cria e para quem  ama degustá-los.
Os supertoscanos são uma grande prova disso.

(DOCG):A classificação mais alta para vinhos de qualidade,algumas regiões só possuem status de DOCG para certos vinhos.
(DOC) Classificação de qualidade equivalente à Appellation dÓrigine Contrôlle (AOC)Francesa
(IGT) Essa categoria esta no mesmo nivel do vin de pays francês.Muitos dos melhores vinhos italianos podem ser rotulados IGT,para evitar leis rigídas,como exemplo os supertoscano
(VDT) Vinho de mesa,abrange a maioria da produção italiana.


Boa Degustação!!!

terça-feira, 5 de março de 2013

Curiosidades do mundo do vinho

Oque você sabe,ja se perguntou,ou não fazia idéia do mundo dos vinhos...


Há um tempo atrás li sobre curiosidades do mundo do vinho e achei interessante montar um post mais rico e com curiosidades a mais.

Então vamos às curiosidades e o que você sabe sobre a bebida de Baco. 

1 - O vinho pode ser mais antigo do que se consegue imaginar, algumas  sementes de uvas cultivadas foram encontradas na Geórgia (na região do Cáucaso, Ásia) e datam de 7.000 a. C.
 
2 - Também no Egito antigo, nobres e sacerdotes usavam as uvas e há evidências do uso do vinho em rituais de mortes dos Deuses egípcios.

3 - Passagens na Bíblia, desde a embriaguez de Noé, até Jesus transformar água em vinho: "este é o meu sangue, que é derramado por vós”.


4 - Isto já foi falado no Blog lá no primeiro post, mas faz parte da mitologia. Já se perguntou quem é o Deus fanfarrão Baco? Dionísio para uns (romanos), Baco para outros (gregos), já que não se pode agradar os dois. A verdade é que Baco era o Deus do vinho e o comemorava em festas e orgias, verdadeiros bacanais, venerado pelas mulheres e em seu nome eram dadas verdadeiras festas do "balacobaco".

5 - Durante a Idade Média, o vinho era usado como analgésico e antisséptico.

6 - Na antiguidade, a mulher era proibida de experimentar qualquer bebida alcoólica.

7 - Porque brindamos? 

O brinde teria se originado na Antiguidade durante os acordos de paz entre impérios beligerantes. O mediador do acordo deveria levantar-se, proclamar sua conclusão e

tomar o primeiro gole da bebida (normalmente vinho, a mais mística das bebidas) para mostrar que ela não estava envenenada e demonstrar, assim, a boa vontade entre as partes.


8 - A origem do nome sommelier (especialista na comercialização, depósito e orientação do vinho).

Somme /sommier-em provençal Saumalier 
Responsável pelo transporte de carga comida e vinho, com o tempo estendeu-se o termo ao criado que arrumava a mesa e servia o vinho.

9 - Bouquet

 Nome que se dá aos aromas terciários do vinho.

10 - Porque o carvalho?

Alta força. 
Peso leve.
Maleabilidade.
Impermeabilidade à água ou ao vinho.
Além das trocas que acrescentam ao vinho aromas de especiarias, corpo e cremosidade (na fermentação e maturação).

11 - Nomes aos bois

Só é chamado de Champagne o vinho espumante com métodos e uvas especiais, originado na região de champanhe 
O prosseco é o vinho originário da região do Vêneto, na Itália. Prosseco também é o nome da uva da qual o vinho é produzido.
Espumantes: os vinhos com fermentação e produção de CO2 por métodos Charmat e Champenoise (ou natural)
Frisantes - vinhos onde se acrescenta C02 de forma mecânica, como um refrigerante.

12 -  Sommelier - responsável pelo serviço.
        Enólogo - responsável pela fabricação 
        Viticultor - responsável pelo plantio da vinha.
        Enófilo- estudante e apaixonado por vinho.


    A inspiração para este post vem do blog sobre curiosidades http://maisquecuriosidade.blogspot.com.br/