terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Bordéus- a classificação de um império


Bordéus –Fazer de um empório uma carreira

Bordéus é mais do que apenas o nome de uma famosa região vinícola. É o símbolo de um grande vinho em geral um modelo para todo vinho do mundo.

Bordéus é também a denominação mais extensa e de maior sucesso em França, produzindo mais de 4 milhões de hectolitros 1 hectolitro = 100 litros e mais de 100.000 ha de vinhas. Bordéus é um padrão de orientação para todos os países que querem fazer um corte de sucesso.

Bordéus é uma região vinícola com duas realidades distintas, por um lado é capaz de produzir alguns dos melhores e mais caros vinhos do mundo, por outro lado estes vinhos representam um pequena percentagem da produção total, tendo grande produção com pequenos produtores que lutam todos os dias pelos seus vinhos no mercado.




 
Clima
 
Bordéus tem clima marítimo moderado que se beneficia da corrente do Golfo que causa aquecimento, trazendo água morna desde o Caribe até o norte da Europa, prolongando a temporada de crescimento, o clima é basicamente marítimo moderado com grande precipitação, o que pode ser um problema, pois ocorre todo ano, em Bordéus o conceito de safra é algo a ser levado a sério, já que pode se ter variações consistentes na qualidade de uma safra a outra.
 
Viticultura: Os solos de Bordéus são variados o que naturalmente faz uma selecção de castas, sabendo-se que a precipitação é alta, a definição de qual uva ira maturar com êxito em Bordéus depende do seu solo.
O trabalho feito em Bordéus gira em torno de qualidade, que vem melhorando gradualmente, com a gestão da vinha, produções menores, melhores porta enxertos, mas são as doenças fúngicas o maior problema de Bordéus e controle de maturação da uva que gira em torno da alta precipitação e umidade do solo.
Condução em espaldeira, a monda de cachos r a desfolha tem dado como resultados uvas mais saudáveis, além disso os melhores produtores tem rejeitados toda uva em ma condição, realizando uma triagem depois das uvas terem sido colhidas geralmente feita manualmente ou com maquinaria especializadas no caso de produtores mais ricos.
Dada esta vasta selecção, os cuidados com a vinha e a priorização da qualidade, reflecte em vinhos mais caros e alguns dos melhores vinhos do mundo que fazem de Bordéus um estilo a ser seguido.
Castas: Em ruma região onde praticamente todos os vinhos são feitos de corte, tantos os tintos como os brancos e isso não é assim por um acaso a variabilidade do clima e a grande precipitação faz com que seja arriscado depender apenas de uma determinada uva, dando abertura aos cortes, as distintas castas permitidas m bordéus amadurecem em tempos diferentes o que significa que dificilmente uma forte geada ou chuva possam estragar uma safra inteira.
 
As regras de denominação permitem 13 castas diferentes, porém são usadas na pratica apenas 3 tintas e 2 brancas.
 
Cabernet Sauvignon: ( Haut Médoc) com ajuda do solo de predominância de cascalho, que irão enviar calor a casta, Haut Médoc é o melhor solo em Bordéus para  maturação da Cabernet Sauvignon, originando vinhos tânicos que aceitam muito bem madeira e que tem um núcleo de fruta tipo groselha preta, em bordéus é sempre cortada com merlot .
 
Cabernet Franc (Saint Emilion) Origina vinhos com menos corpo, taninos e refinamentos do que a Cabernet Sauvignon embora existam notáveis excessões.Tem uma fragância marcada que é seu ponto forte no corte final.
 
Merlot: (Saint Emilion e Pomerol) A merlot é a casta mais plantada em bordéus origina vinhos com muito corpo e pouco tânicos os quais também maduram mais cedo do que a cabernet sauvignon é responsável pela suavidade, riqueza e corpo quando adicionada a austera cabernet sauvignon.
 
Petit Verdot: Só amadurece plenamente em anos muito quentes, originando vinhos tânicos com cores profundas que envelhecem lentamente.
 
Castas Brancas
 
Semillon: é a casta branca mais plantada em bordéus devido a sua pele fina e sua afinidade com a podridão nobre é muito utilizada para vinhos doces,dando vinhos com cor dourada e muito corpo.
 
Sauvignon Blanc: Em bordéus a sauvignon blanc origina vinhos com distintos aromas herbáceos, a gramíneas e a flor de sabugueiro.
 
Muscadelle: Esta casta tem um pronunciado sabor floral e a uvas, desempenhando um importante papel secundário na produção de vinhos doces e secos.
 
 
 
 
 
 
O Terroir Ideal: No que diz respeito ás condições dos solos, podem distinguir-se três zonas na vastíssima região de Bordéus, formando cada uma delas uma entidade independente , sendo assim Bordéus não é uma zona única de vinhedos , uma denominação homogénea, mas sim uma rede com 54 denominações complicadas e hierarquicamente subdivididas
 
Principais áreas de Bordéus os rios Dordogne e Garonne confluem formando um estuário do Gironde (Gironda em Português ) que dividem as vinhas de Bordéus em três grandes áreas, a Oeste e Sul de Gironde/Garonne encontra-se os distritos de Médoc, Graves e Sauternes esta área é chamada de margem esquerda . A maior área comprometida entre Dordogne  e Garonne é coberta pela denominação Entre Deux Mers. Por último os principais distritos localizados a norte e leste do Gironde e do Dorgogne são Sain`t Emilion e Pomerol conhecida como Margem Direita
 
Os tintos de Médoc e de Graves
A longa área de vinhas entre o Gironde e o mar é dividida em dois pela cidade de Bordéus. A norte encontra-se Médoc e a sul Graves dento destas sub regiões os melhores vinhos tintos de qualidade são produzidos em Haut Médoc e em Pessac Léognan onde as vinhas são dominadas pela cabernet sauvignon , os melhores vinhos são muito estruturados com níveis altos de taninos e acidez, e tem um núcleo concentrado de fruta tipo groselha preta recoberto por sabores de madeira de carvalho tostada. Podem envelhecer durante décadas e desenvolver aromas de caixa de charutos e de cedro.
 
Os tintos de Libourne
 
Os vinhos da Margem Direita denomina Merlot e em menor medida a Cabernet Franc, Saint Emilion é a maior das duas denominações com três grupos de vinhas distintos que se encontram em diferentes solos. Em primeiro lugar estão as vinhas situadas em Planalto a norte e a Oeste de Saint Emilion, aqui os solos são calcários quentes e com boa drenagem características que encorajam a plantação de cabernet franc. Em segundo lugar são as vinhas situadas para sul e leste, as quais encontram solos de argila calcário. Os vinhos mais prestigiosos de Saint Emilion, incluindo uma grande parte dos vinhos Grand Cru Classé e muitos dos vinhos que recebem a classificação Saint Emilion Grand Cru AC, provém destas duas sub regiões.
 
A reputação de Pomerol AC, denominação da origem vizinha é tão boa quanto a de Saint Emilion mas os preços dos seus vizinhos podem ser mais altos pois a maioria das propriedades são muito pequenas pelo que o vinho conseguem ter mais preço devido a raridade de seus produtos, os vinhos tendem ser a ser mais ricos e com carater de fruta mais especiado e do tipo amora. Entre as vinhas de maior reputação encontra-se PÉTRUS e Le Pin.
 
Cotes de Bordeaux
Uma mudança introduzida recentemente tentou reunir numa só denominação de origem áreas produtoras de vinho tinto de melhor qualidade mas que são menos conhecidas. Desde de 2008 Blaye Cadillac, Castillon e Francs podem colocar os seus nomes a frente de Côtes de Bordeaux AC. Apesar de se tratar de um grupo heterogéneo de denominações os seus vinhos podem ser considerados como pertencentes de um único grupo. Estes vinhos tendem a ter por base a Merlot e a estar destinados ao consumo imediato.
 
Vinhos Brancos secos de qualidade superior


 
A Sauvignon Blanc é agora normalmente o componente principal dos melhores brancos secos sem madeira que provêm dos solos mais arenosos no Sul, nas denominações de GRAVES AC e Entre Deux Mers AC , a falta de denominações mais especificas para vinhos brancos faz com que excelentes vinhos brancos secos elaborados em Médoc e em Sauternes sejam comercializados sobre denominação genérica Bordeaux.
A denominação de Origem Passac Léognan AC é o lar dos melhores brrancos secos e de todos os château cru classé que produzem vinhos brancos secos.
 
Vinhos Doces
 
As melhores denominações de vinhos doces de Bordéus estão agrupados nas margens do Garonne e do seu afluente o Ciron. A frescura dos rios origina manhãs de outono enevoadas criando condições ideais a botrytis em uvas completamente maduras. O passerillage pode ter especial importância nos anos em que a botrytis é pouco intensa.
 
Os melhores vinhos provém de Sauternes AC denominação localizadana margem oeste do Garonne. A Sémillon predomina aqui devido a sua pele fina e a suscetibilidade para a botrytis. A Sauvignon Blanc traz acidez refrescante e aromas frutados e a Muscadelle quando usada adiciona um perfume exótico.
 
 

Sem comentários:

Publicar um comentário